Diamante, o bailarina, de Pedro Jorge, que acompanha a vida de um boxeador drag queen, ganhou mais um prêmio.


                                       Reprodução do FaceBook do ator Sidney Santiago Kuanza
Curta Brasília anuncia os curtas-metragens vencedores da sexta edição
Uma produção de Sâo Paulo e outra do Paraná venceram o júri oficial e o popular, respectivamente

YALE GONTIJO
18/12/2017
Fonte: Metrópoles

O 6º Curta Brasília anunciou os vencedores das mostras competitivas nacionais em diversas categorias em cerimônia realizada no Cine Brasília na noite de domingo (17/12). A opulência da produção cinematográfica de curta duração foi evidenciada pelo grande número de inscrições que o festival recebeu este ano. Novecentos e sessenta filmes se inscreveram na edição e 30 foram selecionados para concorrer aos prêmios dedicados aos filmes nacionais.

Por uma restrição no orçamento geral do festival, muitos realizadores não puderam ser trazidos para participar da cerimônia, mas enviaram vídeos de agradecimentos ou representantes do festival foram direcionados para receber os troféus.
O paulista Felipe Poroger, diretor de “Capitão Brasil” lamentou não poder estar presente desta vez na cerimônia, mas agradeceu pelo troféu de melhor filme, eleito pelo júri oficial. “Eu amo este festival. Estou muito chateado por não poder estar aí para receber o troféu, mas já aprendi que sempre que não estou presente a uma cerimônia, eu recebo uma notícia boa”, disse, o diretor supersticioso.
Autora de um filme sobre a violência doméstica contra mulheres, a cineasta e roteirista Laís Melo não pôde estar em Brasília por estar envolvida em uma ação de cinema e educação realizado no interior do Paraná. Em vídeo exibido na tela do Cine Brasília, a diretora de “Tentei” ressaltou a importância de ganhar o prêmio de melhor roteiro. “É muito importante que uma mulher seja premiada nesta categoria. Nós sabemos que 90% das histórias narradas no cinema são escritas por homens e essa realidade precisa mudar”, declarou.

O veterano documentarista Vladmir Carvalho observou que apesar da restrição orçmentária, o festival dedicado aos curtas-metragens foi realizado com êxito. “É uma grande satisfação poder colaborar com o festival Curta Brasília. Estamos em um ano de dificuldades, um ano de crise e os organizadores deram uma resposta linda realizando o festival apesar das dificuldades”, declarou Carvalho antes de entregar o troféu da Fundação Cine Memória nas mãos da documentarista Dácia Ibiapina pelo documentário “Carneiro de Ouro”.

Apesar de não ter levado os prêmios principais, o curta foi ganhou a maior quantidade de troféus da noite, vencendo também o prêmio concedido pela Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo (ABCV) para melhor filme do DF e duas menções honrosas: uma da associação UCDF e outra da competitiva principal.

“Carneiro de Ouro” conta a história de Dedé Rodrigues, um cineasta que realiza filmes de ficção no interior do estado do Piauí com a ajuda da comunidade local. “É uma grande satisfação receber esse troféu das mãos do meu colega Vladimir, documentarista que eu admiro muito e a quem eu já dediquei um filme”, declarou Dácia Ibiapina referindo-se a “Conterrâneo Velho de Guerra”, longa sobre Vladimir Carvalho.

6º Curta Brasília – LISTA DE PREMIADOS

Mostra competitiva de curtas-metragens – Júri oficial:

“Capitão Brasil” (SP), direção de Felipe Poroger

Mostra competitiva de curtas-metragens – Júri popular:

“Luiza” (PR), direção de Caio Baú

 Troféu Curta Brasília (Júri oficial)

Melhor direção:

João Paulo Miranda, por “Meninas formicida” (SP)

Melhor roteiro:

Laís Melo, por “Tentei” (PR)

Melhor fotografia:

Anderson Capuano, por “Boca de fogo” (RJ)

Melhor atuação:

Nash Laila, por “O delírio é a redenção dos aflitos” (PE)

Melhor montagem:

Allan Ribeiro, por “O quebra-cabeça de Sara” (RJ)

Melhor som:

Ricardo Reis, por “Quando os dias eram eternos” (SP)

Menção honrosa:

“Carneiro de ouro” (DF), direção de Dácia Ibiapina

“O porteiro do dia” (PE), direção de Fábio Leal

 Mostra competitiva de videoclipes – Decibéis (Júri oficial):

“Elevação Mental” (SP), videoclipe dirigido César Gananian para música da rapper Triz

 Menção Honrosa de Melhor Interpretação em Videoclipe:

Lino Ribeiro e Paula Passos, do clipe da música “Lambida” (DF), de Joe Silhueta, direção de André Miranda

 Mostra competitiva de videoclipes – Decibéis (Júri popular):

“Lalá” (SP) videoclipe dirigido por Vera Egito e Camila Cornelsen para música da rapper Karol Conká

 Prêmio Provocações:

“Diamante, o bailarina” (SP), direção de Pedro Jorge

 Prêmio Calanguinho:

“O menino leão e a menina coruja” (DF) direção de Renan Montenegro

 Prêmio Cine França Brasil:

“Divina Luz”, (ES) direção de Ricardo Sá

Menção honrosa: “Luiza” (PR), direção de Caio Baú

 Prêmio Espanha em Curtas:

“Alike”, direção de Daniel Martínez Lara e Rafa Cano Méndez

 Mostra IESB – Júri popular:

Videoclipe: “Asé Omanõmo”, direção de Matheus Ronchi

Curta-metragem: “O que vão dizer de nós?” (DF), direção de Nabia Lima

Mostra IESB – Júri oficial:

Videoclipe: “Frio” – San Lunes (DF), direção Marina Lima

Curta-metragem: “O que vão dizer de nós?” (DF), direção de Nabia Lima

 Prêmio Brazucah:

“Nimbus, o caçador de nuvens” (MG), direção de Marco Nick

 Troféu Cinememória:

“Carneiro de ouro” (DF), direção de Dácia Ibiapina

 Troféu UCDF:

“Nada” (MG), direção de Gabriel Martins

Menção honrosa: “Carneiro de Ouro” (DF), direção de Dácia Ibiapina

Menção honrosa: “Ferroada” (SP), direção de Adriana Barbosa e Bruno Mello Castanho

 Prêmio ABCV – Athos Bulcão:

“Carneiro de ouro” (DF), direção Dácia Ibiapina

 Prêmio Cult:

“Tekoha – Som da Terra” (DF), direção de Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron (Xamiri Nhupoty)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atriz Walkiria Ribeiro dá um show de simpatia, elegância e humildade no Baile do Carmo 2018

A atriz Walkiria Ribeiro será homenageada no grande Baile de gala 2018 na cidade de Araraquara

Americana se apaixona por rapaz na balada e descobre que ele é príncipe