Exposição Julio Le Parc: da Forma à Ação no Instituto Tomie Ohtake


25 de novembro a 25 de fevereiro 2018

O Instituto Tomie Ohtake traz adaptada para seu espaço a grande retrospectiva de Julio Le Parc, realizada em 2016 no Pérez Art Museum Miami (PAMM). Com a mesma curadoria de Estrellita B. Brodsky e consultoria artística de Yamil Le Parc, a mostra em São Paulo, com patrocínio do Bradesco, apresenta mais de 100 obras que trazem uma centelha de experiências físicas e visuais. Ao incluir as principais instalações e trabalhos raramente vistos em papel e materiais de arquivo, Julio Le Parc: da Forma à Ação é uma exploração da figura central de Le Parc na história da arte do século 20.

 “As investigações de Julio Le Parc sobre as maneiras de engajar e empoderar o público redefiniram e reinterpretaram a experiencia da arte”, afirma a curadora Estrellita B. Brodsky. “Movido por um sólido ethos utópico, Le Parc continua a olhar a arte como um laboratório social, capaz de produzir situações imprevisíveis e de ludicamente engajar o espectador de novas maneiras. Seu posicionamento radical continua cada vez mais relevante após seis décadas”.

 O artista argentino logo após mudar-se para Paris, tornou-se, em 1960, membro fundador do coletivo de artistas Grupo de Pesquisa de Artes Visuais (GRAV). Ao enfatizar o poder social de objetos e situações de arte não mediados e desorientadores, Le Parc buscou limpar as estruturas e sistemas que separam espectador de obra. Sua inovação no campo da luz, movimento e percepção foi central para os movimentos da arte cinética e ótica da época, enquanto suas teorias de imediatismo e espectadorismo como veículo de mudança social e política, continuaram a integrar a vanguarda parisiense de 1960 adiante.

Esse espírito da arte como ímpeto para empoderamento social move-se pela mostra em três secções temáticas. A primeira, Da superfície ao objeto, reúne trabalhos iniciais em papel e pinturas que mostram o uso de cor como meio de desestabilizar a superfície bidimensional. Estão expostas obras de 1958, com estudos do bidimensional com tinta e guache em papel, assim como pinturas de 1959 até hoje. Também consta nesse segmento, o monumental A Longa Marcha, um grupo de 10 pinturas vibrantes que flutuam ao redor de uma parede arredondada.

Em Deslocamento; Contorções; Relevos, estão os revolucionários labirintos-instalação, de Le Parc exibidos pela primeira vez como parte da participação da GRAV na Bienal de Paris de 1963, as caixas de luz e obras de contorção. A sequência de três cômodos imbuídos de luz oferece aos espectadores uma experiencia sensorial poderosamente desorientadora.

 Por fim, Jogo & Política de participação dissolve os muros físicos e ideológicos que separam espectador, obra de arte e instituição. Precursor do movimento de estética relacional, esse período da carreira de Le Parc considera como a arte pode encorajar uma nova consciência sobre o espaço social do indivíduo.

  “Acredito que a exposição de Julio Le Parc despertará o mesmo interesse e encantamento do público causado pela mostra de Yayoi Kusama, que realizamos em 2014, por também provocar singular experiência sensorial aos espectadores”, diz Ricardo Ohtake, presidente do Instituto Tomie Ohtake.

O trabalho desenvolvido pela curadora Estrellita B. Brodsky é uma pesquisa retrospectiva da abrangente prática de Le Parc e uma análise de seu impacto tanto em seus contemporâneos na América Latina quanto na Europa vanguardista do pós-Guerra e subsequentes gerações de artistas. Apesar do âmbito histórico, a exposição conversa com força com o presente, demandando presença física e perceptiva do público. Julio Le Parc: da Forma à Ação apresenta o artista à nova geração, permitindo que cada visitante reaja de forma direta e pessoalmente ao trabalho.

#julioleparcsp  #institutotomieohtake

AUDIOGUIA
O Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake desenvolveu um audioguia para contribuir com a experiência de visitar a exposição Julio Le Parc: da Forma à Ação. O audioguia foi pensado como um glossário de termos e conceitos chaves presentes nas fases mais importantes de Julio Le Parc e relevantes para o contexto em que viveu e produziu. Acreditamos que essas informações darão autonomia ao visitante para vivenciar as proposições do artista e construir suas próprias experiências e interpretações no seu percurso.

Para acessá-lo, siga as instruções abaixo:

INSTRUÇÕES

• Baixe o aplicativo do Instituto Tomie Ohtake na app store ou google play.

• Escolha a exposição JULIO LE PARC: DA FORMA À AÇÃO e clique no ícone do fone para acessar o audioguia.

• Escolha o áudio de acordo com os números que aparecem nas paredes da exposição.

 Algumas obras da exposição foram selecionadas e contam com audiodescrição, um recurso de leitura de imagens para pessoas com ou sem deficiência visual. Para acessar a audiodescrição das obras escolha os áudios de acordo com os números que aparecem nas paredes da exposição com o símbolo AD)))

ACESSIBILIDADE

Assista o Vídeo

INSTITUTO
TOMIE OHTAKE
Av.Brigadeiro Faria Lima, 201

Pinheiros - São Paulo - SP

CEP 05426-100

POOL DE COMUNICAÇÃO
Rua Fidalga, 146, cj. 31 - Vila Madalena

CEP 05432-070

São Paulo SP

+55 (11) 3032.1599

pool@pooldecomunicacao.com.br








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A atriz Walkiria Ribeiro será homenageada no grande Baile de gala 2018 na cidade de Araraquara

Americana se apaixona por rapaz na balada e descobre que ele é príncipe

Espetáculo A SOGRA QUE PEDI A DEUS